grito dos excluidos Brasil

Grito dos excluídos 2017
“A vida em primeiro lugar.
Por Direitos e Democracia a Luta é Todo Dia”
 

O grito dos excluídos é um espaço aberto onde pastorais, movimentos, sindicatos e organizações mais diversas, se convocam num grito comum pela vida em primeiro lugar. Se realiza há 23 anos, em todo o pais, e culmina em um ato público o 7 de setembro,  dia da Independência do Brasil.

Participam da organização do Grito 19 entidades: A comissão 8 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Pastoral da Juventude (PJ), o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Cáritas Brasileira (CB), Central dos Movimentos Populares (CMP), a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), a Pastoral Operária (PO), o Serviço Pastoral dos Migrantes (SPM), a Comissão Pastoral da Terra (CPT), Rede Jubileu Sul Brasil, Grito Continental, Juventude Operária Católica (JOC), Pastoral Afro Brasileira, Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Pastoral da Mulher Marginalizada (PMM), Rede Rua, Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP) e a Pastoral Carcerária.

Devemos juntos, trabalhar contra  tudo o que leva à exclusão. É preciso mostrar o rosto dos excluídos, dos que estão invisibilizados.  O vigário episcopal para Promoção Humana e Obras Sociais da Arquidiocese de Brasília, P. Carlos Henrique Silva Oliveira, sublinhou a importância do compromisso  no complexo momento sociopolítico do Brasil à luz da fé e da Palavra de Deus “porque somos homens e mulheres de fé, esperança e caridade, por isso devemos caminhar comprometidos com a dignidade, a justiça e a defesa da vida. “Eu vi a opressão de meu povo..., ouvi o grito de aflição” (Ex 3, 7).”

http://cnbb.net.br/grito-dos-excluidos-por-direito-e-democracia-a-luta-e-todo-dia/

 

Salva Stampa Esci Home